Cadastre-se aqui para receber ensinamentos espirituais, a programação das atividades da nossa comunidade e dicas para impulsionar a sua caminhada espiritual.
Doação PagSeguro
Logomarca Instituto Aura Mater
Início O Instituto O Ensinamento Calendário de eventos Notícias Loja Virtual Contato

Ensinamentos da Grande Fraternidade Branca

Rituais e Orações Para Um Novo Tempo

Pessoas Unidas Para Uma Missão












 

Misericórdia, justiça e perdão
 

 

Esta palestra antecedeu o Ritual das Dispensações de Kuan Yin, realizado pelo Instituto Aura Mater. 

Palestra inspirada nas Pérolas de Sabedoria Volume 45, números 3 e 15, editadas pela Summit Lighthouse do Brasil, ambas ditadas pela Amada Kuan Yin. A de número 3 foi ditada aos mensageiros Mark e Elizabeth Prophet, a de número 15 foi ditada à mensageira Elizabeth Prophet. 

Palestrante: Luisella Ancis 

Data: 16 de maio de 2013

 

Boa noite!

Hoje vamos refletir sobre duas Pérolas de Sabedoria, ambas ditadas pela Amada Mestra Kuan Yin. Nestas Pérolas, Kuan Yin nos fala do perdão, da dor sofrida quando não se perdoa, da alegria de perdoar, do serviço ao irmão e da reencarnação, pois tudo isso tem a ver com a misericórdia e a justiça. Em resumo, a Amada Kuan Yin nos fala, reiteradamente, de Amor. Ela repete estas exortações muitas vezes, com palavras diferentes, como se quisesse, na repetição, ter a certeza de que estamos fazendo nossas as Suas palavras. 
 
O termo "misericórdia" vem do latim e significa "ter compaixão no coração".  No início da Pérola, Kuan Yin se apresenta como a Mãe da Misericórdia, isto é Aquela que tem compaixão no coração. Não se trata de uma compaixão fácil, nem de "passar a mão na cabeça", mas de uma compaixão que tem dignidade, nobreza e, principalmente, amor e justiça. Por isso, Ela nos informa que o Seu trabalho é desenvolvido juntamente com a Mestra Pórcia, de modo que a misericórdia de Kuan Yin se une com a justiça divina que Pórcia representa. 
 
Kuan Yin nos aconselha a reconciliação com todas as pessoas das quais nos esquecemos, desde o passado longínquo quando estávamos na Atlântida ou na Lemúria, até hoje. Insiste em dizer-nos que devemos nos tornar aquilo que somos de fato: herdeiros do manancial eterno da justiça e da misericórdia. Ela exorta-nos a abrir nosso coração para que dele flua o perdão. Portanto, precisamos fazer as pazes com aqueles que afastamos do nosso amor. Kuan Yin sugere-nos a deixar um bloco de notas na nossa mesa de cabeceira para escrever os nomes daqueles que ainda não perdoamos e, então, nos perguntar: "Será que realmente perdoei a esta pessoa? Fui justo com aquela? As palavras que disse a esta outra foram demasiadamente duras? Ajudei realmente aquela?" 
 
Depois disso precisamos procurar essas pessoas e pedir-lhes perdão. Caso não tenhamos mais contato com elas, podemos pedir-lhes perdão diante do nosso altar, de modo que o nosso Deus interior acesse o Deus interior do outro, pois o mais importante é resolver a pendência. Quando falta misericórdia falta também a capacidade de perdoar e o coração se torna uma pedra dura, mas quando conseguimos perdoar, somos perdoados. Kuan Yin, em trechos diversos da Pérola, explica, a respeito do perdão:  "... é a fonte e a fundação que vem e vos liberta para um sentido eterno de perdão". "Não podeis mudar aqueles que não gostam de vós, mas podeis enviar-lhes tanto amor (...)". "O perdão é a porta aberta para a plenitude (...)". "Aquele que perdoar desde o princípio dos tempos até o final, receberá a minha tutela." A promessa desta tutela nos traz júbilo e segurança e desperta nossa infinita gratidão. 
 
Kuan Yin nos envia outro recado quando sinaliza que os arcanjos e as hostes ascensas de luz nos ensinam a importância do serviço aos irmãos. O ato de perdoar, que brota da misericórdia do coração, também "abre a vida" para o serviço. Por isso a Amada Kuan Yin lembra-nos de repetir o "Decreto do Perdão", que já conhecemos: "Eu Sou o perdão atuando aqui, todas as dúvidas e medos expulsando ..." e deixar para trás todas as pedras de tropeço proclamando ao Senhor com sinceridade: "Eu Sou o guardião do meu irmão". Pois, é também no serviço que podemos manifestar perdão, misericórdia e amor.  
 
A amada Mestra nos fala também da importância de aprendermos as lições da dor. A dor pode habitar “nas almas jovens e também nas mais antigas”, pois atinge toda a humanidade. Precisamos então possuir o "bálsamo do perdão" para oferecê-lo àqueles que sofrem. Diz Kuan Yin: "Levai a chama da misericórdia ao vosso coração e tende sempre aí abundantes flores fragrantes da cor do raio da misericórdia para que possais dar a outra pessoa este alívio para a dor." A misericórdia então prevalecerá sobre a dor. A dor será transmutada em alegria. E será multiplicada pela "geometria do cosmos"; emanará para todas as correntes de vida e o universo inteiro se regozijará com esta vitória. Deixando soprar a chama do Espírito, poderemos experimentar a alegria que brota do perdão, que triunfa sobre a dor, derrotando-a, e preenchendo os nossos chacras. 
 
A amada Kuan Yin fala-nos também da reencarnação. Ela nos diz que a reencarnação expressa a misericórdia e a justiça de Deus e nos convida a transmitir este ensinamento proclamando-o do alto dos telhados. Por meio da nossa voz, o mundo conhecerá que Deus, através da reencarnação, tem oferecido dispensações de misericórdia até àqueles que "cometeram grandes crimes". Explica ainda que os Mestres dão à expressão "a vingança do Senhor", muito usada no Antigo Testamento, o significado de "justiça divina do Senhor". Deus, diz a Mestra, nos perdoou inúmeras vezes, assim como muitas pessoas que nos amam. Contudo, sendo Ele justo, não alivia o ônus a ser pago por aqueles que “atacaram seus filhos”. Os atributos divinos da misericórdia e da justiça se entrelaçam e são emanados para todo o universo. Nós também precisamos torná-los nossos atributos. 
 
É preciso lembrar-nos de uma lição já aprendida: o serviço e a Chama Violeta são instrumentos poderosos que também Kuan Yin indica para ajudar na dissolução do carma negativo. É importante tornar nossos todos estes ensinamentos apresentados pela amada Kuan Yin com tamanha ternura e suave firmeza. 
 
Desejo encerrar esta reflexão com as palavras da amada Mestra da Misericórdia que nos mostram que Ela permanece diariamente próxima de nós com toda a dedicação, a misericórdia e o amor do Seu coração: "Selo-vos no meu coração. Eu sou a Boddhisattva Kuan Yin. Carrego-vos na câmara secreta do meu coração, onde embalo a vossa criança interior. Levo a vossa criança interior ao meu coração. Eu sou a vossa Mãe do Extremo Oriente. Lembrai-vos, nunca me esqueço de vós nem um só dia ou uma só hora." A suave Mestra convida-nos a decretar os Seus Mantras, que faremos em nosso Ritual de hoje. Agradecemos a infinita misericórdia de Kuan Yin e acompanhamos com todo o fervor o Ritual a Ela dedicado. Agradeço a vocês pela oportunidade desta reflexão. Um bom Ritual para todos.  
 

 

Por Luisella Ancis
Equipe do Instituto Aura Mater



 


Veja também 

Amor, a Síntese do Ensinamento

Livro: Mensagens de Buda

O Instituto Aura Mater
  Missão
  Fonte de Estudos
  História
  Atividades

Comunidade Aura Mater
   Palestras
   Mensagens da equipe
   Espaço da criança
   Espaço Aura Jovem
O Ensinamento
  O que é o Ensinamento
  A Grande Fraternidade Branca
  O Ensinamento presente nas religiões
  Ensinamentos secretos
  Emissários enviados ao longo da história da humanidade
  Mestres cujas mensagens originaram as religiões
  Mestres responsáveis espiritualmente pelas eras
  Profetas e mensageiros
  Principais Ensinamentos
Sessões
   Bem-vindo aos ensinamentos!
   Calendário
   Notícias do Instituto Aura Mater
   Mensagem da Diretora Espiritual
   Orações
   Ensinamentos
   Áudio, vídeo e imagens
   Corpo Místico
   Loja virtual
Redes sociais
Instituto Aura Mater no Youtube Instituto Aura Mater no Facebook
Instituto Aura Mater | 2018 - Todos os direitos reservados - (31) 3264-6206 - (31) 8647 1745