Eles ultrapassaram a meta da evolução humana
 
 
Super-homens?
 
 

Eles tinham poderes mágicos, faziam coisas que as pessoas comuns não faziam, voavam, atravessavam o espaço, ajudavam as pessoas. Naqueles tempos da minha infância, os super-homens eram raros, vinham até mim nas histórias em quadrinhos e davam asas à minha imaginação. 

 

Mais tarde, fiquei sabendo que existiam super-homens de verdade. Eles também voavam, atravessavam o espaço, tinham poderes mágicos e ajudavam as pessoas. Mas agora eles vinham até mim por meio de livros que contavam histórias extraordinárias sobre eles e, segundo os autores, histórias reais. 

 

Mistérios desvelados

 

Uma dessas histórias eu conheci quando li um livro escrito por Guy Ballard. Ele era um engenheiro de minas que se encontrou com o mestre Saint Germain no Monte Shasta, na Califórnia, em 1930. A partir desse encontro, sua vida mudou. Saint Germain o conduziu durante viagens no tempo. Ele visitou civilizações antigas. Presenciou Saint Germain materializando alimentos e objetos. E conheceu lugares magníficos. Conheceu mestres que apareciam e desapareciam com facilidade. Aprendeu a tocar em rochas imensas que se abriam ao toque da mão, revelando surpresas dentro das montanhas. Saint Germain mostrou-lhe com naturalidade essas coisas enquanto lhe transmitia ensinamentos. O livro "Mistérios Desvelados" e "Eu Sou a Presença Mágica" falavam de coisas que pareciam saídas do mundo da fantasia. Mas os ensinamentos que explicavam todas essas mágicas tinham uma coerência que me fazia acreditar que tudo aquilo era possível. 

 

Passar de um mundo mágico para uma explicação que fizesse sentido para mim veio com o conhecimento da evolução dos seres que Blavastky revelou ao mundo. Foi quando tudo fez sentido. O homem, da forma como nós o conhecemos, não é o ponto máximo da evolução. Quando chegamos ao estágio humano, vivemos tempo demais nessa forma, nos acostumamos com ela e não percebemos que os que continuam o processo evolutivo simplesmente passam para o estágio além do humano. E, nesse estágio, são capazes de fazer coisas que consideramos fora do comum, milagrosas. 

 

Fatos extraordinários

 

A vida de Blavatsky revela coisas extraordinárias a respeito desses seres. No tempo dela, Morya, Kuthumi e outros mestres com quem ela convivia e de quem recebia os ensinamentos, ainda não eram ascensos. No entanto tinham vidas incomuns. Atravessavam as paredes, percorriam grandes distâncias em segundos, materializavam objetos, viviam em casas que se tornavam invisíveis à maioria das pessoas, controlavam as forças da natureza, conversavam com pessoas à distância sem necessidade de aparelhos eletrônicos ou mecânicos, liam documentos e livros que estavam a milhares de quilômetros de distância, ficavam a par das minúcias dos acontecimentos sem a necessidade de serem informados. Por que eles conseguiam tudo isso? Eles eram seres de outra natureza, diferente da espécie humana? 

 

Baird T. Spalding escreveu livros relatando sua experiência com um grupo de onze pessoas numa expedição de pesquisa ao extremo oriente, na Índia e no Tibete, em torno do ano de 1894. Spalding relata no seu livro “Vida e Ensinamentos dos Mestres do Extremo Oriente”, que durante a expedição, fez contato com os “Grandes Mestres do Himalaia”, seres que ele descreve como imortais, com quem viveu e estudou. Spalding relata também fatos impressionantes. Ele e seus amigos conviveram com comunidades inteiras de pessoas que tinham a capacidade de andar sobre as águas, atravessar barreiras de fogo com quilômetros de espessura sem se queimar, materializar alimentos, atravessar grandes distâncias em segundos. Pessoas que não envelheciam. 

 

Por mais que a senda espiritual seja uma aventura interior, a demonstração de que há seres com capacidades sobre-humanas na Terra sempre me chamou a atenção. Eles conseguiam fazer coisas incomuns. Por que eles não estavam nos noticiários? Por que não cruzávamos com eles nas ruas? Onde eles viviam? O que faziam? Eram muitos? Por que nós não conseguíamos ser como eles? São de uma outra espécie? Ou são fruto da imaginação? A evolução termina na espécie humana? 

 

Eles ultrapassaram a meta da evolução humana

 

Fala-se há muito tempo na existência da Grande Fraternidade Branca. Um grupo de seres altamente desenvolvidos espiritualmente, que já ultrapassaram o estágio da evolução humana.

 

Ao longo da história da humanidade, sempre houve o “aparecimento” de mestres que demonstravam ter superado o estado em que a humanidade vive. São descritos como seres dotados de virtudes incomuns, grande sabedoria, conhecimento transcendente, grande poder e amor. Eles são vistos em corpos brilhantes, com uma aura geralmente branca resplandecente e o ambiente onde eles aparecem fica inundado com uma forte luz espiritual. Têm aparência nobre, digna e expressam-se com grande sabedoria e poder. Fala-se que eles não vivem como os comuns dos mortais. Aparecem individualmente ou em pequenos grupos. Com o passar do tempo, as pessoas começaram a associar a presença desses mestres com a existência de uma fraternidade que os congregava. Percebeu-se então que eles formam uma fraternidade espiritual, a quem chamaram de "Grande Fraternidade Branca".

 

Quem são Eles?

 

Mas como se sabe a respeito da existência da Grande Fraternidade Branca?

 

Culturas muito antigas já falavam dela. Sempre se falou de um grupo de seres perfeitos, com qualidades excepcionais, virtudes sobre-humanas, que às vezes visitavam a humanidade, traziam conhecimentos e abençoavam. Esses seres transcenderam a condição humana, estão num grau evolutivo superior aos humanos. E organizam-se hierarquicamente. Quanto mais elevados espiritualmente, mais abrangente é sua ação. 

 

Os nomes que a humanidade deu a esses seres variaram ao longo do tempo. O termo mais usual para se referir a eles é Grande Fraternidade Branca. Mas os autores falam também em Grande Irmandade Branca, Grande Loja Branca, Fraternidade Branca Universal, Irmandade Oculta, Grande Irmandade de Luz, Hierarquia Oculta, etc. O nome Grande Fraternidade Branca foi tornado público no século 19, pela Sociedade Teosófica. Os teósofos e, em especial, Blavatsky, relataram ter se comunicado com alguns mestres da Grande Fraternidade Branca. Depois, o termo Grande Fraternidade Branca foi popularizado pelos Ballards, do Movimento I Am. E, em seguida, muitos outros autores e grupos consolidaram o nome Grande Fraternidade Branca para se referirem a esse grupo de seres celestiais. Instituições como a Sociedade Teosófica, a Ordem Rosacruz Amorc, Summit Lighthouse, Movimento I Am, Ponte para a Liberdade, Agni Ioga, entre outras, reconhecem a existência da Grande Fraternidade Branca e transmitem ensinamentos que foram inspirados por ela.  

 

Mas como eles surgiram? Eles são uma espécie diferente de seres? Eles vivem na Terra? Desde quando eles existem?

 

Como e de onde Eles surgiram? 

 

Existem muitos graus evolutivos pelos quais as mônadas passam enquanto evoluem. O homem não é o ápice da evolução, como se imagina. Há muitos graus de desenvolvimento além dos que a espécie humana consegue alcançar. Em algum momento de sua evolução, a mônada consegue se manifestar por meio do corpo humano. Vive muito tempo no estágio humano, em muitas encarnações, aprimorando-se. Chega um dia em que sua capacidade de se expressar dessa forma torna-se limitante. O corpo humano não consegue mais expressar tudo o que ela quer manifestar. Nessa hora, ela passa para o estado super- humano. Continua evoluindo, mas utilizando corpos de outra natureza. Então, quando uma mônada consegue alcançar todas as condições que um corpo humano lhe proporciona, passa a habitar corpos que popularmente conhecemos como “de mestre ascenso”. Esses corpos são mais perfeitos que os corpos humanos, mais sutis e capazes de maiores realizações espirituais. 

 

Uma parte desses seres aos quais estou chamando - de forma bem popular - de super-homens, auxiliam a humanidade. Embora sejam mestres que suplantaram a evolução humana e tenham corpos mais evoluídos, corpos que permitam a eles estar em outros lugares do universo, passam parte do seu "tempo", como se diz, por aqui.

 

Mestres não ascensos?

 

Mas vamos a um outro ponto importante. Os mestres ascensos da Grande Fraternidade Branca que atuam na Terra já ultrapassaram o estágio evolutivo humano e tem corpos diferentes dos corpos humanos. Mas... há um grupo raro de seres que ainda usam o seu corpo físico, embora tenham alcançado grandes graus de mestria. É como se fossem intermediários entre o estágio em que atualmente a humanidade se encontra e o que será futuramente, na sua próxima etapa evolutiva. São como super-homens, se pensarmos de forma simples, seres humanos dotados de grande perfeição, modelos de virtudes e de sabedoria. E conseguem realizar coisas que uma pessoa comum não conseguiria. Há seres dessa categoria que ainda  estão fisicamente na Terra, que pertencem à Grande Fraternidade Branca, embora num nível diferente dos demais seres que ascensionaram. Eles representam a Grande Fraternidade Branca em assuntos que precisam ser realizados por alguém que ainda tem corpo físico. Ajudam no progresso da humanidade e podem agir em ambientes como guerras, política, ciência, educação e outras áreas em que o conhecimento da humanidade precisa ou pode ter um impulso espiritual maior.

 

Nos tempos em que a Sociedade Teosófica foi fundada, muitos mestres ainda não ascensos falavam e se comunicavam regularmente com os teósofos daquele tempo. Eram conhecidos como Mahatmas. No século passado, os Ballards também relataram que conheceram seres com essas características, que atuavam em nome da Grande Fraternidade Branca em diversas áreas e viviam de maneira incomum e em lugares inusitados e ocultos do olhar da humanidade. O mesmo é relatado por Spalding. 

 

Mas ainda há um outro grupo de pessoas que também representa a Grande Fraternidade Branca no nosso mundo. São pessoas que estão num nível evolutivo menos adiantado que esses de quem estamos falando, mas que já se elevaram mais do que a maioria da humanidade. Muitas delas não têm consciência de sua ligação interior com a Grande Fraternidade Branca, embora suas vidas e seu trabalho estejam sob a sua inspiração. E elas prestam serviço dedicado, defendendo  a causa da Grande Fraternidade Branca na Terra. Podem ser pessoas que vivem vidas consideradas simples, mas que têm um corpo causal aperfeiçoado. Ou pessoas que estão à frente dos acontecimentos mundiais mais relevantes, inspiradas pela Grande Fraternidade Branca. 

 

O que é a Grande Fraternidade Branca?

 

Então, o que é a Grande Fraternidade Branca?

 

A Grande Fraternidade Branca é um grupo de seres altamente desenvolvidos espiritualmente, que guia a evolução nos mundos e que administra as leis cósmicas. Eles cuidam, tanto nas minúcias quanto nas amplas áreas em que atuam, para que todos os seres passem de uma fase evolutiva para outra e alcancem suas metas em cada fase de sua existência.  

 

Esses seres estão organizados hierarquicamente, de forma que os mais elevados e que tem consciências mais alargadas, presidam aos demais que estão em graus inferiores aos seus. E esses mesmos grandiosos seres estão subordinados a outros que lhe são ainda superiores. Essa hierarquia baseia-se em valores evolutivos e tem graduação crescente e decrescente, sempre de forma natural, de maneira que os mais elevados estarão sempre em posições superiores e mais abrangentes, em relação aos menos elevados. Essa grande cadeia hierárquica organiza e preside a vida no universo.

 

Como o mundo manifesto é imenso, o plano evolutivo é grandioso e abarca imensidões no micro e no macrocosmo, a missão da Grande Fraternidade Branca é também de enorme alcance. Ela emana sua orientação sobre os seres e os mundos. Nos mundos menos evoluídos, essa orientação que visa a evolução dos seres nem sempre é bem absorvida, e, nesse caso, não há coerção, mas respeito ao livre arbítrio dos seres. É o que acontece na Terra, um planeta que está passando por uma fase de grandes conflitos, característicos de um mundo onde as evoluções percorreram pouco mais que a metade do seu caminho evolutivo.

 

É comum as pessoas se referirem à Grande Fraternidade Branca como o “governo oculto do mundo”, mas isso precisa ser bem  entendido. Os seres celestiais que fazem parte da Grande Fraternidade Branca trabalham para que a evolução na Terra tenha êxito. Encaminham as coisas para que o plano divino da Terra e da humanidade seja realizado. Cuidam para que o processo evolutivo dos seres tenha continuidade. Junto ao Logos Cósmico, ao Logos Solar e aos Logos Planetários, cuidam da formação e da dissolução dos mundos, seguindo o grande plano do esquema evolutivo do universo. Eles respeitam o livre arbítrio da humanidade e obedecem à lei que rege a vida, evitando interferir no curso natural das coisas. No entanto, em alguns momentos pontuais, eles atuam de forma mais incisiva. 

 

A Grande Fraternidade Branca é formada por uma variedade de seres celestiais e da maioria deles, nós não temos qualquer notícia. A humanidade aprendeu a chamar os membros da Grande Fraternidade Branca de “Mestres Ascensos”, mas esse nome limita o entendimento de quem eles são e faz imaginar que todos os seres que fazem parte da Grande Fraternidade Branca são “Mestres Ascensos”, sendo que há entre eles grandiosos seres de outros reinos, aos quais não chamaríamos de Mestres Ascensos. Mas isso será assunto para mais adiante.

 


Fátima Soraggi 
 
 
 
 
 
*Venha conhecer o desenvolvimento desse assunto no Curso Ensinamentos da Grande Fraternidade Branca. 
 
 
Copyright 2018 - Instituto Aura Mater - Todos os direitos reservados